Acupuntura

A Acupuntura

A acupuntura é uma modalidade de tratamento da MTC – Medicina Tradicional Chinesa que consiste inserir agulhas nos pontos específicos dos meridianos em conexão com todo o organismo, com o objetivo de remover obstruções energéticas prejudiciais à saúde e restaurar equilíbrio. Às vezes as agulhas são giradas, aquecidas, ou mesmo estimuladas conforme aplicadas através da pele. Esta terapia apresenta bons resultados diante de muitas enfermidades, os instrumentos utilizados são simples, econômicos e de fácil domínio, seguros e sem efeitos colaterais.

Fisioterapeuta Evandro Luiz.

Descrição

A acupuntura é utilizada na China com experiência em tratamentos ao longo de 5.000 anos para aliviar dores e curar doenças. Segundo OMS – Organização Mundial da Saúde, a acupuntura é um método de tratamento complementar com indicação para mais de 68 doenças, mas conforme a medicina tradicional chinesa (MTC) seu uso é indicado para cerca de 350 doenças.

Além do alívio na dor, acupuntura previne e trata doenças através do equilíbrio das energias circulantes no corpo, pois organismo equilibrado não adoece. Os canais de energia distribuídos ao longo de doze linhas principais são chamados de meridianos (Baço-pâncreas e estômago, Pulmão e intestino grosso, Rim e bexiga, Fígado e vesícula biliar, Coração e intestino delgado, pericárdio e/ou circulação-sexo e triplo aquecedor).

Estes canais de energia ou meridianos percorrem o corpo no sentido vertical, formando pares simétricos nas faces dorsal e ventral da superfície corporal, os quais, devidamente estimulados, são capazes de promover uma série de benefícios à saúde do indivíduo. A medicina chinesa interpreta o funcionamento do organismo humano fazendo aplicação há fenômenos naturais, umidade, secura, frio, vento, fogo, de modo que as agulhas alteram o comportamento desses elementos.

E quanto ao alívio da dor, pesquisas revelam que estão relacionadas à liberação de substâncias analgésicas (endorfinas), anti-inflamatórias e neurotransmissoras, conforme provocadas pelos estímulos das agulhas. Ainda, estudos revelam que as inserções das agulhas estimulam às fibras sensitivas A de condução rá¬pida (mielínica: percep¬ção mais fina, tato), C de condução lenta (amielínica: dor e/ou dor difusa e em queimação), estas fibras levam estímulos ao corno posterior da medula (trato espinotalâmico anterior e lateral) chegando a áreas nobres do tronco cerebral (ex. substância gelatinosa de Rolando: recebe fibras sensitivas pela raiz dorsal e contém o “portão da dor”, controla entrada da sensibilidade dolorosa) e ao próprio encéfalo provocando liberação de substâncias conhecidas como endorfinas, neuropeptídios ou opióides endógenos que atuam na supressão da dor.

História da Acupuntura

O primeiro contato com a técnica se deu através de manuscritos chineses do século XVIII A.C. - O Nei Jing (Nei Ching), conhecido como o Tratado do Imperador Amarelo, figura mitológica que desvenda os segredos da medicina chinesa. O Japão, Coréia e Vietnã também usam a acupuntura como recursos terapêuticos para tratar a saúde.

Eram utilizados instrumentos de pedra denominados Bian para estimular pontos na pele, vários desses artefatos foram encontrados em sepulturas da antiguidade, lascas de ossos, espinhos, farpas de bambu e muitos outros, para estimular pontos ao longo do corpo tendo como objetivo principal, produzir o alívio de dores. Tanto que em 1968 na tumba familiar de Liu Sheng e Jing de Zhongshan, da dinastia Han do Oeste (sec. II a.C), encontraram nove agulhas para acupuntura, quatro de ouro e cinco em prata usadas nos tempos antigos.

A partir das recomendações da OMS, houve um movimento de abertura legal para a prática desta especialidade por diversos profissionais da saúde com formação em nível superior o que inclui o Fisioterapeuta.

A acupuntura tem recebido grande destaque na mídia nas últimas décadas como uma modalidade terapêutica alternativa aos tratamentos convencionais.